,

Conhecer Lisboa: Duas Épocas, Dois Espaços Arqueológicos

Os alunos do 10ºano do curso de línguas e humanidades realizaram no dia 30 de janeiro, no âmbito do estudo dos módulos 1 e 2 da disciplina de História A, visitas de estudo ao Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros e ao Núcleo de Interpretação da Muralha de D. Dinis.

Integrado no âmbito do estudo da presença romana na Península Ibérica, os alunos tiveram oportunidade de perceber o impacto que esta teve na cidade de Olissipo (designação de Lisboa). A partir do século I até ao século IV d. C., Lisboa assiste à instalação e laboração de núcleos de preparados piscícolas, alguns deles para a preparação do garum, molho muito apreciado em todo o Império Romano. Os alunos tiveram oportunidade de conhecer um desses núcleos tendo observado a existência de tanques (cetárias) de grandes dimensões, poços e edifícios de apoio a essas atividades artesanais. Foi ainda possível o contacto com um mosaico polícromo datado do século III e ainda um complexo de banhos privados, provavelmente local de residência do proprietário das fábricas de preparado de peixe. A presença de inúmeras ânforas demonstra a importância deste local nos circuitos comerciais do Império Romano.

A visita continuou no Centro de Interpretação da Muralha de D. Dinis, testemunho arqueológico revelador da importância de Lisboa como centro económico e comercial de finais do século XIII. Esta muralha foi mandada edificar por D. Dinis na zona ribeirinha de Lisboa para proteger a cidade de ataques de piratas, tendo esta sido testemunha das intensas atividades mercantis de Lisboa. Aquando da edificação do Paço Real da Ribeira no reinado de D. Manuel (período dos Descobrimentos) esta muralha serviu de apoio às paredes deste edifício, tendo sido fortemente danificada com o terramoto de 1755. Esta estrutura ficará soterrada mais de 250 anos até à sua descoberta em 2010 durante as escavações realizadas aquando da remodelação da sede do Banco de Portugal.

Neste espaço são visíveis, ao longo do troço da muralha, vestígios arqueológicos que testemunham diferentes momentos da história da cidade de Lisboa. Todo o espaço é dotado de recursos multimédia que recriam atmosferas sensoriais da época (sons do quotidiano, música medieval), animações 3D, filmes, vários fragmentos de objetos e documentos escritos.

Estes dois espaços foram bastante apreciados pelos alunos do Colégio Militar, tendo estes reconhecido que as visitas realizadas constituíram formas diferentes e interessantes de conhecer a História da cidade e do país.