,

Conferência «Ética, Valores e Política»

No passado dia 1 de Junho, os alunos da disciplina de Ciência Política assistiram, no Pavilhão Carlos Lopes, à conferência subordinada ao tema «Ética, Valores e Política». Integrada nos Encontros da Fundação Francisco Manuel dos Santos, iniciou-se com a apresentação do estudo «Instituições e qualidade da democracia: política na Europa do Sul», coordenado por Tiago Fernandes, Idalina Sanches, João Cancela e José Santana Pereira, e foi seguida pelas intervenções dos conceituados filósofos da Universidade de Harvard: Michael Sandel e Steven Pinker.
O primeiro, foi considerado pela Foreign Policy como um dos 100 Global Thinkers e as suas aulas, disponibilizadas na Internet, contam com milhões de visualizações. É apelidado como o «professor de filosofia política mais famoso do planeta» e escreve sobre justiça, ética, democracia e mercados. Em 2018, foi indicado como o estrangeiro mais influente do ano na China.
Steven Pinker, é um famoso psicólogo e linguista, sendo, de acordo com a revista Time, uma das pessoas mais influentes da atualidade. Os seus livros mais recentes: The Better Angels of Our Nature e Enlightenment Now, que foram sucessos globais, encontram-se traduzidos em português.
Nesta apresentação, Sandel questionou o papel do dinheiro e do mercado na nossa sociedade, perguntando se devemos vender cidadania para imigrantes? permitir que corporações paguem pelo direito de poluir? Ou que pessoas ganhem dinheiro para testar novos medicamentos?
No fundo, a grande questão que coloca é a de saber quais são os limites morais do mercado, considerando que é urgente uma profunda reflexão sobre qual o tipo de sociedade que queremos construir e quais são os lugares em que a lógica do mercado pode entrar e atuar.
Steven Pinker, por seu turno, defendeu, com base em análises estatísticas de diversos critérios de bem estar humano, que o mundo está muito melhor hoje do que em qualquer outra época da história da humanidade. Exigindo, por isso, maior rigor no discurso político e um afastamento das visões catastrofistas que tem contribuído para o alastrar dos populismos.